Revista Shimmie Edição 11

HOME / Revista Shimmie Edição 11

Revista Shimmie Edição 11


R$ 14,90

QTD:
Comprar

Detalhes do produto

EDITORIAL

Cada vez que você faz uma opção, está transformando sua essência em alguma coisa um pouco diferente do que era antes.

C.S.Lewis

Nossa matéria de capa, que trata sobre a realidade de conciliar (ou não) duas carreiras, atinge também parte da equipe da Shimmie, inclusive a nossa redatora Eliene, que ficou extremamente atribulada com sua outra profissão, de gerente de comunicação de uma multinacional, com novos projetos e viagens internacionais. Com toda a correria, ela me pediu para escrever o editorial desta edição. Pessoalmente, eu me sinto à vontade para falar desse tema, pois durante um bom tempo conciliei minha outra profissão - assistente social - com a dança. Com o tempo, a dança falou mais alto e acabei me dedicando só a ela e continuo até hoje, seja em sala de aula, nos palcos ou aqui na revista. De qualquer forma, não sinto que “abandonei” minha formação acadêmica original, pois ela estará sempre em minha essência, e se refletirá em meus atos, reflexões e escolhas.

Espero que, como eu, vocês se identifiquem de alguma forma com essas profissionais que encaram tão bem não só a dupla jornada de trabalho, mas também seus outros papéis sociais, donas de casa, esposas, mães... Aliás, esperamos que vocês curtam o nosso Especial Dia das mães, com depoimentos de mães de bailarinas e nossa coluna Bellymother, que retrata o trabalho de Salua Cardi com as futuras mamães.

Nesta edição, também temos um panorama do Tribal no Brasil, escrito pela nossa colunista Kilma Farias, além de uma entrevista exclusiva com a bailarina Suheil, que nos conta sobre sua carreira internacional e sobre o lançamento do Glossário da Dança do Ventre, iniciativa apoiada pela Shimmie.

E para encerrar, quando estávamos fechando a revista, tivemos uma grata surpresa. Recebemos um e-mail de um leitor mais que especial (confira na sessão Cartas) que, além de nos deixar muito felizes, nos fez acreditar que o trabalho é árduo, mas que estamos no caminho certo. Ponto para nós, para você que admira e estuda dança, e para todos os que acreditaram, optaram por sair da zona de conforto e decidiram fazer mais!