Revista Shimmie Edição 34

HOME / Revista Shimmie Edição 34

Revista Shimmie Edição 34


R$ 14,90

QTD:
Comprar

Detalhes do produto

EDITORIAL: Postura é tudo!

E, num piscar de olhos, o ano já está voando, não é mesmo? Já estamos completamente imersos na diversidade de eventos por todo o Brasil (e fora dele também!), com coreografias para montar, aulas, shows... No meio desse turbilhão dançante, tire um tempo pra você: é hora de ler sua revista Shimmie! 

Nossas reuniões de pauta são, além de muito divertidas, longas. São horas discutindo uma infinidade de assuntos oriundos do mercado de dança do ventre - é tanta coisa, que às vezes fica difícil escolher o que abraçar e o que descartar. Mas, para esta edição, a decisão veio de forma rápida e unânime: é preciso discutir postura, em todos os seus aspectos. Tanto na questão técnica, dando dicas para profissionais e alunas que querem se aperfeiçoar, quanto nos significados mais filosóficos da palavra. Num mercado que não para de aumentar e busca se profissionalizar, é essencial que sejam discutidos códigos e comportamentos de postura profissional, além do posicionamento frente às questões do mercado, para que toda a classe seja beneficiada.

Nossa escolha de capa, a bailarina, professora e coreógrafa internacional Elis Pinheiro, tem tudo a ver com essa discussão. Elis é uma profissional reconhecida por trabalhar com sua verdade na dança, quebrando paradigmas e inovando a cada performance por meio de uma técnica apuradíssima. Além disso, posiciona-se sem medo nas redes sociais mediante a assuntos polêmicos e importantes do nosso mercado. Em entrevista exclusiva, ela discute essas e outras questões, nos conta sobre sua experiência de morar e trabalhar fora do Brasil e como sua formação em Dança influenciou suas escolhas na carreira.

Outro exemplo de postura profissional é a nossa capa estadual do Maranhão, Solange Costa. Com mais de 21 anos de trajetória na dança oriental árabe, Solange, com muita garra e força de vontade, ajudou a disseminar nossa arte no Maranhão, possibilitando que alunos e profissionais do estado pudessem entrar em contato direto com grandes nomes da dança árabe no país.

A boa notícia é que, se precisamos urgentemente discutir postura e rever alguns conceitos, é porque nosso mercado só se expande. Cada dia mais, temos novos profissionais surgindo, novos eventos incríveis acontecendo em todo o Brasil, novas ideias, novos horizontes. A dança do ventre não para de crescer, e, com uma boa postura, em todos os sentidos da palavra, todos nós temos a ganhar com isso!

Boa leitura!

Um beijo,

Paty Saad